PRÓXIMAS REUNIÕES
com início as 20h.


------------

Alkindar de Oliveira
Veja alguns de seus artigos


Orson Peter Carrara
Veja alguns de seus artigos


Cláudio Bueno da Silva
Veja alguns de seus artigos


O que é o Espiritismo

"O Espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais que dimanam dessas mesmas relações.
Podemos defini-lo assim:
O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal."

O Que é o Espiritismo, FEB, Allan Kardec

Resumo do ensinamento dos Espíritos
1. Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.
2. Deus é eterno, único, imaterial, imutável, todo-poderoso, soberanamente justo e bom. Deve ter todas as perfeições em grau infinito.
3. Deus criou a matéria que constitui o mundo físico ou material; criou também os seres inteligentes, que chamamos de Espíritos.
4. Conforme os espíritos se aperfeiçoam, aproximam-se da divindade.
5. Os Espíritos são seres individuais; circunscritos por um envoltório etéreo, imponderável, chamado perispírito, espécie de corpo fluídico.
6. Os Espíritos são criados simples e ignorantes, isto é, sem saber. Todos partem do mesmo ponto e através das encarnações sucessivas aperfeiçoam-se até atingirem a perfeição.
7. O livre-arbítrio desenvolve-se à medida que o Espírito progride, passando cada vez mais a responder por seus próprios atos.
8. Deus criou as leis – físicas e morais – que regem o Universo. O mal resulta do afastamento das leis morais; o bem decorre da conformidade com essas mesmas leis.
9. É pelo trabalho que os Espíritos progridem. A existência corporal, através das necessidades que gera, permite aos Espíritos o aperfeiçoamento de sua inteligência. Isso faz com que adquiram, quando observam a lei de Deus, os méritos que deverão levá-los à felicidade eterna.
10. Os ditos anjos nada mais são que Espíritos que já percorreram os diversos graus da escala evolutiva. Os ditos demônios nada mais são que Espíritos que voluntariamente enveredaram pelo mau caminho. Essa situação porém não é eterna: Nascer, morrer, renascer ainda, e progredir sempre, tal é a lei.
11. A encarnação, portanto, não é um castigo ou uma punição impostos ao Espírito, é antes uma necessidade evolutiva.
12. Os Espíritos encarnados formam a Humanidade, que povoa os diversos mundos disseminados no espaço.
13. Os mundos materiais são adequados aos Espíritos que aí habitam. Existem mundos mais e menos avançados.
14. A cada nova encarnação o espírito adquire qualidades morais e intelectuais, desenvolvendo tarefas proporcionais ao seu grau de desenvolvimento.
15. Uma existência pode ser nula se o Espírito não a aproveitar. O patrimônio moral e intelectual adquirido numa dada existência nunca se perde. O Espírito não retrograda, isto é, não degenera.
16. No intervalo entre as vidas corporais, o Espírito vive a vida espiritual, onde estuda, trabalha, recupera-se e planeja-se para uma nova existência. Não há tempo determinado para a estada no mundo espiritual.
17. O esquecimento do passado quando da encarnação, tem por objetivo permitir ao Espírito atuar mais livremente, não se envergonhando dos reveses ou se orgulhando dos acertos. Esse esquecimento porém não é total, daí as tendências, as aptidões inatas, as facilidades ou dificuldades com tal ou qual situação.
18. A Terra é um mundo de “Provas e Expiações", ou seja, os Espíritos que aqui encarnam ainda são muito imperfeitos. É por isso que se vê tantas misérias, tantos problemas, tantas dificuldades.
19. Os males que afligem os homens tem por causa o orgulho, o egoísmo, a vaidade e todas as más paixões. Quando se praticar a máxima do Cristo - “Amar ao próximo como a si mesmo" - a Terra tornar-se-á o tão almejado paraíso.
20. A crença no Espiritismo não é aproveitável senão àquele que possa dizer: Valho melhor hoje que ontem.
21. Conhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empreende para domar suas más inclinações.